quarta-feira, janeiro 20, 2010

nome-do-pai

Eu sei onde está minha falta e sei quando não falto a alguém. Por isso, acabo sendo faltoso às vezes, e deixo você buscar o que não tem e até, de vez em quando, eu.

5 comentários:

Flavio disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Flavio disse...

"Tal submissão à lei promove o gozo fálico e cria o desejo, é onde
o sujeito se coloca numa busca incessante pela completude impossível."

"...a falta possibilitando a deriva do desejo, desejo enquanto metonímia."

Danielle disse...

Gostei! :p

juliana disse...

Seu blog é muito interessante e bonito.Parabéns.

Olho de Tornado disse...

Eu não tenho uma consciência tão plena do que falta ou não, rs. Mas gostei do escrito.
É difícil deixar-se buscar mesmo de vez em quando...
=]

 
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons - All Right Reserved ®.